Patrulha Escolar ‘faz milagre’ com apenas três policiais

Os policiais ainda dão suporte às escolas municipais e particulares.

Patrulha Escolar platinense é composta por apenas três policiais militares CRÉDITO: Antônio de Picolli

Tão preocupante quanto os casos de violência no ambiente escolar é a estrutura oferecida pelo Estado para atender a demanda por segurança pública nos estabelecimentos de ensino de Santo Antônio da Platina. No município, existe apenas uma equipe de Patrulha Escolar, composta por três militares, para atender um universo de aproximadamente sete mil alunos, somente da rede estadual de ensino. Os policiais ainda dão suporte às escolas municipais e particulares.

No caso envolvendo a filha do aposentado Osmar Moreira da Silva, a Patrulha Escolar registrou um Boletim de Ocorrência, que será objeto de investigação pela Polícia Civil. “Na esfera judicial, o adolescente responde por ato infracional e é penalizado de acordo com a gravidade do caso.

Toda agressão tem suas consequências, assim como a quem faz apologia à violência divulgando imagens de brigas na internet, ainda mais envolvendo crianças e adolescentes”, adverte o comandante da Patrulha Escolar de Santo Antônio da Platina, cabo Edvaldo de Arruda.

A soldado Daniele Cristine Liebelt Origa, salienta que ao final das investigações o processo será analisado pela Justiça e pode resultar em medidas socioeducativas e até mesmo em multas aos pais dos adolescentes infratores.

Programas sociais

A Patrulha Escolar desenvolve ações como o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), entretanto, a participação da família e o envolvimento de crianças e adolescentes em outros projetos sociais são fundamentais para reduzir os casos de violência no ambiente escolar. “É preciso haver uma grande mobilização para que tenhamos bons resultados.

Além dos programas sociais, é importante que os alunos, pais e professores denunciem os casos de violência através dos telefones 181 e 190. As informações podem ser anônimas e ajudarão a polícia nas investigações, que certamente irão contribuir para a diminuição da violência nas escolas”, orienta o soldado Leonardo Vieira Correa.