Epidemia de dengue faz prefeito decretar estado de emergência

Com decreto, município pretende adotar medidas de combate à proliferação da doença; só em janeiro são quase 200 casos já registrados

A Prefeitura de Jacarezinho decretou estado de emergência em virtude da nova epidemia de dengue que o município enfrenta. O decreto assinado pelo prefeito Sérgio Farias foi publicado no Diário Oficial na quarta-feira (29) e tem por objetivo acelerar os procedimentos de combate à proliferação da doença e cuidados médicos com as vítimas.

O decreto 7.194/2020 acontece um dia após o governo do Paraná confirmar o estado de epidemia, embasado pelos números do boletim epidemiológico desta semana. Os dados apontam um crescimento vertiginoso da dengue no município em janeiro.

Em entrevista à rádio Banda B, o secretário municipal de Saúde de Jacarezinho, Marcelo Nascimento e Silva, afirmou que o município tem 195 casos confirmados de dengue em janeiro e que desde agosto já são 415 pacientes diagnosticados com a doença.

Além disso, o secretário ainda explicou os efeitos práticos do decreto. “A situação é preocupante e crítica. Precisamos muito do apoio da população porque a maioria dos criadouros do mosquito da dengue está dentro das casas. Esse decreto permite justamente que a gente entre em residências onde os donos não autorizam a entrada dos agentes de endemias. O pronto socorro está sobrecarregado pelos casos de dengue e com o decreto podemos fazer a contratação de mais médicos para  o atendimento mais rápido aos pacientes”.

Outra medida que o município tomará, em parceria com a 19ª Regional de Saúde e outros escritórios regionais de órgãos do governo, é um amplo mutirão para combater focos e criadouros do Aedes aegypti, possivelmente na próxima quarta-feira (05).

HISTÓRICO

A reincidência de epidemias de dengue em Jacarezinho é recorrente ano ano. Há pelo menos uma década são registrados casos em grandes números no município, inclusive com pacientes que entraram em óbito em decorrência de complicações da doença.

Em maio do ano passado Jacarezinho enfrentou mais uma epidemia. Poucos meses depois o município voltou a ficar em alerta contra a dengue pelo alto número de infestação do mosquito e a circulação viral da doença – e o temor de uma nova epidemia que se confirmou agora com o aumento substancial de pessoas afetadas.

ACUSAÇÃO DE OMISSÃO

Segundo Elaine Paldi, diretora da Forrest Brasil Tecnologia, que desenvolveu em Jacarezinho um projeto de controle biológico do Aedes aegypti, houve omissão do município nos meses que antecederam a epidemia.

“Quando oferecemos o tratamento gratuito meses antes da epidemia justamente para contê-la, fomos ignorados , e isso causou este problema catastrófico”, critica.

Vale lembrar que o projeto da Forrest no bairro do Aeroporto teve resultados muito positivos no ano passado, fazendo do bairro, que historicamente tinha os maiores números de casos de dengue, tivesse o menor número de casos entre os bairros do município no período de aplicação do projeto. “Estamos desde outubro tentando trabalhar em toda a cidade e hoje Jacarezinho poderia estar fora das estatísticas”, completa Elaine.