Coleta de águas das praias do Paraná começa já em novembro

Paraná tem sido destaque nacional em qualidade das águas no Litoral e Interior e a expectativa é que na temporada 2019/2010 seja mantida a balneabilidade dos últimos anos

Foto: José Fernando Ogura/AEN

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) começará a coletar as amostras para os boletins semanais de balneabilidade da temporada de verão 2019/2020 a partir do dia 18 de novembro. O primeiro boletim será disponibilizado na semana do Natal e fará um balanço de mais de 60 regiões. A expectativa é de manutenção da qualidade das águas no Litoral e nas praias artificiais e represas das costas Oeste e Norte.

O Paraná tem sido destaque nacional em qualidade das águas do Litoral e do Interior nos últimos anos, posicionando-se no topo da lista de estados com as melhores condições de balneabilidade. Houve melhoria nas estruturas das cidades e investimentos em saneamento básico feitos pelo Governo do Estado.

Na temporada 2018/2019 os boletins de balneabilidade divulgados pelo IAP mostraram que a qualidade das águas se manteve boa durante todo o período. O último informe, divulgado em 1° de março de 2019, mostrou que apenas um dos 49 pontos monitorados no Litoral se mostrava impróprio para banho.

“As cidades do Paraná têm se estruturado, receberam investimentos do Governo do Estado em saneamento básico, incluindo estações de tratamento de esgoto. Isso garante aos moradores e aos nossos turistas mais segurança para aproveitar o verão”, aponta Ivonete Coelho da Silva Chaves, diretora de monitoramento ambiental e controle da poluição do IAP.

O monitoramento das águas permite a verificação de contaminação por esgoto sanitário clandestino e indica a possibilidade de uso dos espaços públicos para atividades de lazer, como natação, mergulho e esqui.

PONTOS – Nesta temporada serão monitorados 49 pontos no Litoral – 13 em Guaratuba, 14 em Matinhos, 11 em Pontal do Paraná, seis na Ilha do Mel, três em Morretes e dois em Antonina – e as praias artificiais do Lago de Itaipu em Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Itaipulândia, Missal, Santa Helena, Entre Rios do Oeste e Marechal Cândido Rondon, além do Rio Paranapanema, em Primeiro de Maio, no Norte do Paraná.

ALERTAS – O IAP conta com oito técnicos coletadores, dois analistas para o laboratório de Curitiba e dois responsáveis pelo boletim de balneabilidade. As coletas acontecerão sempre às segundas-feiras e os resultados demoram cerca de 24h.

Após a primeira análise da água coletada, o IAP sinalizará as regiões monitoradas com bandeiras indicativas que alertam os banhistas sobre a qualidade da água. Elas são atualizadas a cada novo boletim.

As bandeiras azuis indicam que a água apresenta boas condições de balneabilidade em qualquer condição climática e as vermelhas representam áreas inadequadas para banho.

MONITORAMENTO – O monitoramento da balneabilidade é a avaliação da qualidade das águas utilizadas para recreação de contato primário (onde há o contato direto com a água, como nos banhos de rio ou mar, mergulho e esqui aquático). Ele é realizado de acordo com a Resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) nº 274/2000.