Mulher é agredida a pauladas em Santo Antônio da Platina

Viviane Melo, de 31 anos, sofreu traumatismo craniano e foi transferida para o Hospital Universitário (HU) de Londrina

Uma suposta discussão entre duas mulheres na noite de sábado (25) em Santo Antônio da Platina, aparentemente por motivos banais, deixou uma delas, identificada como Viviane Melo, 31 anos, gravemente ferida. A vítima foi brutalmente espancada a pauladas por dois homens e, depois de receber os primeiros atendimentos no Pronto-Socorro Municipal, precisou ser transferida com urgência para o Hospital Universitário (HU) de Londrina.

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado pela Polícia Militar, Viviane teria se desentendido com uma mulher identificada como Maria das Graças da Silva, na rua 13 de Maio – Vila Rennó, pouco antes das 23 horas. O namorado de Maria das Graças, Leandro André de Souza, e um amigo dele, Jean Carlos Fernandes, foram atrás da vítima e a agrediram brutalmente com um pedaço de madeira.

Ainda de acordo com a PM, as agressões só cessaram porque vizinhos ouviram os gritos de socorro e impediram uma tragédia ainda maior. Viviane estava caída na calçada bastante ensanguentada e desacordada. Ela foi socorrida pelo Samu.  

Os agressores foram presos pelos policiais militares próximo dali, na rua Deputado Benedito Lúcio Machado. Leandro, Jean Carlos e Maria das Graças foram conduzidos para a 38ª Delegacia Regional de Polícia.  Conforme o delegado Rafael Guimarães, os dois homens foram indiciados pelo crime de lesão corporal grave e permanecem presos à disposição da Justiça.

A reportagem apurou junto à equipe médica que atendeu o plantão na noite de sábado (25) que o estado de saúde da vítima era considerado bastante grave. Viviane estava com um dos olhos bastante inchado, cortes e escoriações no rosto e exames revelaram que a paciente sofreu traumatismo craniano, razão pela qual precisou ser transferida no domingo (26) para o Hospital Universitário (HU) de Londrina.

O estado de saúde de Viviane de inspira cuidados.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa dos agressores.