Imagem de padroeiro em ruínas revela abandono

Escultura de Santo Antônio na rodoviária está deteriorada e ameaça cair; banheiros públicos também são alvo de vandalismo

Imagem do padroeiro da cidade no terminal rodoviário está completamente rachada e ameaça cair FOTO: ANTÔNIO DE PICOLLI

A rodoviária de Santo Antônio da Platina vem gradativamente apresentando vários problemas estruturais, cuja manutenção é de responsabilidade da prefeitura. Novas denúncias nesta semana, no entanto, apontam as péssimas condições na estrutura da imagem de Santo Antônio, padroeiro da cidade, que se encontra praticamente em ruínas e precisa ser restaurada. Parte da imagem já expõe até mesmo a ferragem em meio ao concreto e, além disso, a base da estrutura está totalmente rachada e com sinais de afundamento, dando sinais de que a armação pode ceder a qualquer momento.

Imagem do padroeiro da cidade no terminal rodoviário está completamente rachada e ameaça cair
FOTO: ANTÔNIO DE PICOLLI

Mas a falta de manutenção não para por ai, a placa que indica a ‘Rodoviária de Santo Antônio da Platina’ também foi duramente desgastada pelo tempo. A pintura além de descascada, está sem coloração, opaca e sem conservação. Há anos, sequer existem as bandeiras nos mastros (municipal, estadual e nacional) na fachada do terminal rodoviário. Diante disso, aos poucos, o que era pra ser um dos postais do município aos visitantes está a cada dia mais abandonado pelo poder público.

Há aproximadamente um mês, a equipe de reportagem da Tribuna do Vale veiculou a situação precária dos banheiros públicos do município, inclusive do terminal rodoviário. Porém, até o momento, a situação continua da mesma forma e o que é pior, sem qualquer tipo de segurança no período noturno para zelar o prédio contra o vandalismo.

Imagem do padroeiro da cidade no terminal rodoviário está completamente rachada e ameaça cair
FOTO: ANTÔNIO DE PICOLLI

O secretário Municipal de Obras, Everton José Panigada, informou que já foi aberta, em duas oportunidades, licitação para pequenos reparos na cidade, onde inclui alguns deles, escolas e também os banheiros públicos. Mas segundo ele, uma empresa questionou por duas vezes a documentação da empresa vencedora do certame e, em decorrência a isso, ainda não foi firmado nenhum contrato. O secretário disse que o processo segue em trâmite.